Integrante de projeto para formação de jovens sindicalistas é eleita Secretária de Juventude da CNTRV


Em entrevista, Jocelaine Souza fala da importância do conhecimento e da formação sindical e destaca os principais desafios da Secretaria Nacional de Juventude da CNTRV

               O projeto denominado  “Educação e Potenciação Sindical Regional da Juventude da IndustriALL na América Latina e Caribe”,  iniciado no Brasil em 2018 pela IndustriALL Global Union, em parceria com a DGB, conta com quatro participantes indicados pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Vestuário da CUT, CNTRV: Jocelaine Marcelino de Souza, dirigente do Sindicato dos Calçadistas de Riozinho (RS), Wellington Silva, do Sindicato dos Calçadistas de Itapetinga (BA), Daniela Oliveira, do Sindicato dos Trabalhadores Calçadistas de Ipirá/BA, e Cristiane Lima, do Sindicato dos Calçadista do Ceará.

                Eleita Secretária Nacional da Juventude durante o 11.º Congresso da Confederação (que reúne os sindicatos filiados à CUT nos setores têxtil, confecções, calçados e couro), Jocelaine fala da importância da formação e organização da juventude e dos principais desafios frente à pasta.

Redação – Você participa de um projeto desenvolvido pela IndustriALL Global Union para formação de jovens sindicalistas e recentemente foi eleita secretária de juventude da CNTRV. Qual a relação entre os dois fatos?

Jocelaine – A relação é de entrega total à oportunidade que eu tive. A partir do projeto desenvolvido pela IndustriALL tive a oportunidade de conquistar novos espaços, me capacitar para algo novo e construir novos vínculos, não somente com o meu sindicato e minha base, mas também com  todo o ramo vestuário da CUT, por meio da CNTRV. Acredito que a juventude tem um potencial muito grande. Basta ter oportunidade.  É exatamente esta oportunidade que o projeto nos fornece: capacitação; formação como liderança; espaço para desenvolver nossos projetos; oportunidade para conhecer nosso próprio potencial e para nos redescobrirmos socialmente e politicamente.

Redação – Quais os principais desafios impostos ao ramo vestuário da CUT no que se refere à organização da juventude trabalhadora a partir dos locais de trabalho?

Jocelaine – Organizar a juventude nunca foi algo fácil. Não é somente no ramo vestuário que passamos por dificuldades, mas em todos os ramos e em todas as centrais sindicais brasileiras. Através da troca de experiências que tivemos com os outros setores no projeto da IndustriALL,  percebemos que os desafios são os mesmos: criar lideranças,  ter alguém que  represente a juventude e criar espaços onde eles se sintam bem, seja respeitada e possa ser  ouvida sem discriminação pelo fato da pouca idade e da falta de experiência organizativa. Contudo, temos um desafio imediato: o de mobilizar a juventude trabalhadora contra a reforma da Previdência.

Redação – Como pretende enfrentar estes desafios?

Jocelaine – Primeiro, ouvindo cada vez mais os jovens e organizando a ação sindical a partir das ideias deles. Outro passo essencial é a construção do diálogo permanente sobre a pauta da juventude na direção da Confederação. Infelizmente, não são todos os dirigentes sindicais que estão convencidos de que construir um projeto que busque o fortalecimento das lideranças jovens nos locais de trabalho é algo vital para o movimento. Por fim, junto com a juventude, precisamos ampliar o número de lideranças mulheres nas diretorias dos sindicatos. A CNTRV conquistou sua primeira direção paritária em seu 11.º Congresso e precisamos fazer com que isso se reflita nas entidades filiadas.

Redação – Você avalia ser possível parcerias com entidades nacionais e internacionais com objetivo de avançar na organização dos trabalhadores e trabalhadores jovens nos locais de trabalho?

Jocelaine – O movimento sindical brasileiro atravessa um de seus piores momentos. Acredito que somente a organização garantirá nossa luta, assim como acredito que somente a luta será capaz de proteger e conquistar direitos. Nesse sentido, as parcerias são essenciais para o aprimoramento da nossa organização, principalmente no que se refere à formação de novas lideranças. Precisamos juntar as experiências e compartilhar o conhecimento.  Gostaria que todos os jovens tivessem oportunidade de se descobrir e se capacitar, assim como eu estou tendo por meio projeto da IndustriALL e DGB. Acredito que facilitaria muito para os jovens se organizar e criar suas próprias lideranças em qualquer lugar da sociedade.

VERSÃO DA MATÉRIA EM ESPANHOL  – AQUI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s