RS: 40ª Romaria da Terra: Memória, Luta e Resistência

Ramo Vestuário da CUT participa de evento que reuniu milhares de pessoas na cidade de Pontão, no Noroeste do Estado

A antiga fazenda Annoni, localizada no município de Pontão (RS), recebeu milhares de pessoas nesta terça-feira (28), de todas as regiões do estado para a 40ª Romaria da Terra. A edição deste ano ocorreu em função do aniversário de morte do indígena Sepé Tiaraju e resgatou a luta dos agricultores do assentamento por transformação social, com o tema “Romaria da Terra: 40 anos de luta e memória das conquistas” e pelo lema “Terra de Deus, terra de irmãos”.

A Federação Democrática dos Sapateiros do Rio Grande do Sul, juntamente com membros dos sindicatos de Sapiranga, Novo Hamburgo, Riozinho, Venâncio Aires e Santa Cruz do Sul, se dirigiu ao Instituto Educar, escola de ensino médio, que acolheu os romeiros que percorreram um trajeto de cerca de dois quilômetros, sendo que alguns carregaram tochas, uma cruz de mais de três metros de altura representando as dificuldades enfrentadas pelos agricultores e a solidariedade que receberam da igreja. Além disso, foi carregado durante o trajeto um sino, instrumento utilizado pelas famílias na ocupação da Annoni como sinal de alerta para problemas. Cartazes foram levados durante a caminhada, lembrando  alguns mártires como Sepé Tiaraju, Joceli Corrêa, Elton Brum da Silva, Lari Grosseli, Roseli Nunes e Vitalvino Mori. Os três últimos foram assassinados numa manifestação de agricultores em Sarandi, em 1987, dois anos depois de ocorrer a ocupação da fazenda Annoni.

Após a Romaria, foi realizada uma Celebração Eucarística falando dos principais objetivos da caminhada, onde os romeiros, dentre eles o ex-governador Olívio Dutra, ouviram atentos ao sermão e entoaram cânticos de amor e gratidão. No local, também foi realizada uma feira com produtos da reforma agrária.

Para dentro da matéria Romaria (1).jpg

Fotos: Bruna Chilanti