“Não tem emprego em um planeta morto”

Em seu Congresso, que acontece no Rio de Janeiro de 4 a 7 de outubro, a IndustriALL Global Union, entidade que representa mais de 50 milhões de trabalhadores nas indústrias químicas, têxteis e metalúrgicas de todo o mundo, reforçou uma de suas principais ações globais que se refere ao desenvolvimento sustentável.

A sindicalista colombiana Claudia Blanco ressaltou que a cada dia se torna mais necessário o debate sobre produção sustentável. “Temos que defender o meio ambiente. Os sindicatos sabem que em um planeta morto não haverá postos de trabalho”.

O debate priorizou a ótica dos trabalhadores sobre o desenvolvimento sustentável abordando assuntos relacionados ao clima, como o aquecimento global, recursos naturais e desmatamento, mas também temas inerentes às relações de trabalho,  como trabalho decente, por exemploÂncora.