Sindicato de Sorocaba realiza consulta sobre Greve Geral

Pesquisa promovida pela CUT/SP quer ouvir trabalhadores sobre reação à retirada dos direitos

As ameaças aos direitos são concretas. Recentemente, o Ministro do Trabalho de Temer, Ronaldo Nogueira, anunciou uma reforma trabalhista que criará um sistema paralelo de contratação que prejudica toda a classe trabalhadora. As principais mudanças se referem ao aumento da jornada de trabalho para 12 horas diárias e contrato por hora trabalhada, ou seja, sem remuneração das folgas semanais e férias. Além disso, o PL 30/2015, apoiado por Temer, permitirá que todos os trabalhadores sejam terceirizados.

Junto com a reforma trabalhista, está a reforma previdenciária que elevará a idade mínima para aposentadoria e dificultará ainda mais o acesso aos benefícios. Outros direitos como SUS, educação pública e programas sociais também estão sob ameaça e a política de valorização do salário mínimo não será mantida.

Diante desse quadro gravíssimo, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) está realizando uma consulta junto à categoria com objetivo de saber se os trabalhadores estão, ou não, propensos a realizar uma Greve Geral para barrar a retirada de direitos. A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores/as nas Indústrias do Vestuário de Sorocaba e Região, está levando a consulta até sua base. “Estamos conversando com os trabalhadores e percebemos que o sentimento de revolta é grande, mas ainda falta muita clareza sobre a realidade dos fatos”, analisa Paula Proença, presidenta da entidade.

Outras entidades de Sorocaba também intensificaram a coleta das opiniões. “Além de levar a consulta para as respectivas bases, em Sorocaba  os sindicatos filiados à CUT  estão promovendo ações conjuntas em locais com grande movimentação de trabalhadores”, conta Proença.