Coordenação nacional realiza planejamento nesta segunda (15)

A coordenação nacional do Macrossetor da Indústria da CUT realiza nesta segunda-feira, 15, seu Seminário de Planejamento. A atividade acontece na sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT), na capital paulista.

O Secretário Geral da Central Única dos Trabalhadores, Sérgio Nobre, realizou uma análise das conjunturas política e econômica do país e debateu com os participantes os problemas centrais entorno de um possível impeachment da presidenta Dilma e as consequências do Golpe para a classe trabalhadora. Para o dirigente, a organização e luta da classe trabalhadora nunca foram tão necessárias. “Em qualquer cenário, Dilma saindo ou não, os trabalhadores precisarão estar mobilizados. Estamos vivendo uma das piores crises econômicas das últimas décadas e as medidas que o governo golpista de Michel Temer vem tomando para a retomada da economia irão aprofundar ainda mais a crise”, analisou.

Cida Trajano, presidenta da CNTRV, participou da mesa de abertura do encontro e reforçou a importância da unidade das entidades representativas dos trabalhadores da indústria para enfrentar a conjuntura e garantir os direitos. “Este planejamento servirá de base para nossa organização no próximo período”.

 Retirar direitos não vai garantir os postos de trabalho

O presidente da Confederação Brasileira Democrática dos Trabalhadores/as nas Indústrias de Alimentação da CUT (CONTAC), Siderlei Silva de Oliveira, chamou a atenção dos participantes para as ameaças de corte em direitos com argumento de preservar os postos de trabalho. O dirigente lembrou que a proposta da Fiesp é a de flexibilizar a legislação trabalhista. “O retrocesso nos direitos não garantirá os postos de trabalho”, afirma.

Macrossetor da Indústria é política da CUT

Paulo Cayres, presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM), falou da importância do Macrossetor nos Estados, principalmente naqueles onde a indústria é mais forte, como São Paulo, por exemplo. “O setor da indústria representa 20% da representação sindical da CUT e precisamos melhorar a interação entre os ramos. As propostas existentes em cada um dos ramos que compõem o Macrossetor da Indústria da CUT devem ser socializadas”, propôs.