Minas Gerais: Aumento real beneficia 10 mil trabalhadores no sul do Estado

 

“Bem que os patrões tentaram retirar algumas cláusulas da Convenção Coletiva, mas não permitimos retrocesso”. A afirmação é de Benedita Donizeti Soares, presidenta do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Calçados, Vestuário e Têxteis da região de Pouso Alegre/MG. No último dia 14, a sindicalista assinou, em conjunto com outras entidades sindicais do ramo vestuário do sul de Minas, a nova Convenção Coletiva de Trabalho que beneficiará cerca de 10 mil trabalhadores e trabalhadoras.

Benedita relata que apesar de não haver grandes avanços, a nova Convenção prevê a reposição integral da inflação acumulada, 9,49%, sem parcelamento,  e 0,45% de aumento real. Além da reposição salarial, benefícios importantes como hora extra de 70%, complementação salarial para afastados pelo INSS, biênio e abono maternidade/paternidade, foram mantidos, apesar dos patrões acenarem para o retrocesso. “Ainda temos vários Acordos Coletivos a serem negociados no segundo semestre e esperamos que esta Convenção influencie positivamente nas futuras negociações”, explica.