Marca luxuosa de roupas femininas mantinha trabalho escravo e infantil na capital paulista

A BBC Brasil publicou matéria sobre um flagrante feito pelos auditores do Programa de Erradicação do Trabalho Escravo, do extinto Ministério do Trabalho e Emprego, em oficina que produzia roupas para a marca Brooksfield Donna. Após inspeção em uma das oficinas subcontratadas pela empresa, uma família de bolivianos foi resgatada.  “Sem carteira assinada ou férias, eles trabalhavam e dormiam com suas famílias em ambientes com cheiro forte, onde os locais em que ficavam os vasos sanitários não tinham porta e camas e eram separadas de máquinas de costura por placas de madeira e plástico”, relata a matéria que diz ainda que “os salários dos trabalhadores bolivianos dependiam da quantidade de peças produzidas – R$ 6,00, em média, por roupa costurada. Na cozinha, perto de pilhas de retalhos e muita sujeira, foram encontradas panelas com arroz e macarrão para a alimentação de famílias inteiras”.

Apesar da etiqueta da marca estar presente em todas as peças já produzidas, a Broodsfield Donna nega relação com a oficina.